Loja
Foto: Denis Renó.

Loja é uma cidade no sul do Equador, quase na divisa com o Peru. No topo dos andes, Loja fica a 2.060 metros de altitude, o suficiente para deixar você sem ar nas menores das escadas. Também tem um clima seco e imprevisível, já que a proximidade do sol e os ventos fortes esquentam e fazem chover com facilidade.

Mas a pacata Loja é mais do que isso. Fundada em dezembro de 1548, Loja era habitada pelos Incas desde 1460, antecedido pelos Paltas. Nesse processo, os Incas se misturaram aos Saraguro. Esse povo vive em comunidade e se mantém intacto até os dias de hoje em uma região próxima à cidade de Loja.

loja
Foto: Denis Renó.

Descendentes dos Incas ainda circulam pela região.

Esse post apresenta uma Loja colonial, com um centro histórico que nos remonta aos tempos da chegada dos espanhóis. Com uma arquitetura sevilhana somada ao estilo mexicano de construir suas cidades, Loja é tranquila e cheia de arte. Não importa a dificuldade de chegar na cidade. Vale a pena.

Loja hispânica

Como toda cidade antiga da América hispânica, Loja traz em sua arquitetura os mesmos traços de outras localidades. O lugar lembra o centro de Bogotá, a colombiana Villa de Leyva ou peruana Lima. Mas é Loja, uma cidade de 180 mil habitantes ao sul do Equador.

loja
Foto: Denis Renó.

As casas lojanas são idênticas às de outras cidades hispano-americanas.

Outra característica de Loja que encontramos em diversas cidades hispânicas é o tipo de igreja construída. Todas se parecem, e ficam em praças, onde os fieis se reúnem. Em Loja, entretanto, tem uma característica diferente: em alguns casos, a praça é pequena, menor que a própria igreja.

loja
Foto: Denis Renó.

Sempre uma praça em frente às igrejas, talvez para reunir os fiéis.

Loja das artes

Tudo começou com a Ordem Religiosa dos Dominicos, que chegou no século XVI. Junto com o ensino do evangelho, veio o ensino da música. Por isso, 70% da população de Loja sabe tocar algum instrumento musical. Isso se reflete nas diversas festas artísticas realizadas durante o ano na cidade.

Além disso, podemos ver na praça principal um enorme palco, construído em definitivo, em alvenaria, e que serve para diversos tipos de espetáculo. Sempre que podem, os lojanos se reúnem e apresentam danças típicas, músicas tradicionais e mesmo composições eruditas. Tudo no centro da cidade, e grátis.

loja
Foto: Denis Renó.

O palco é permanente, e serve para diversas atividades dos cidadãos.

O centro histórico da cidade é preservado, com ruas estreitas e casarões coloridos. A diversidade de cores se justifica pela dificuldade de leitura dos cidadãos do passado. Por isso, as residências eram identificadas por cores.

loja
Foto: Denis Renó.

As casas do centro histórico nos levam ao passado.

Uma aventura pelo ar

Para chegar é uma aventura. Os dois voos diários de Quito, além de voos provenientes de Guayaquil e Cuenca, são emocionantes, entre as montanhas. Afinal, o aeroporto de Catamayo está localizado em um vale rodeado de enormes montanhas andinas. O avião passeia entre as montanhas até encontrar o local de pouco, alcançado com uma curva de 90 graus.

Loja
Foto: Denis Renó

O voo é cheio de adrenalina, mas a vista é inesquecível.

Mas a viagem vale a pena. A vista é única, assim como os sabores lojanos, que passam pelo pan de yuca (um pão de queijo lojano) e chegam ao Cuy, o porquinho da índia que conhecemos. Faça um esforço e chegue à cidade, el último rincón del mundo hispânico.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here